Microcontos

01-texto-de-rosane-castro-e-ilustrac3a7c3a3o-de-dane-dangeliA perda
Amanhecia. Uma cor rubra tingia o horizonte. No peito, o sangue escorria.

Dor
Os olhos, conta-gotas. A boca, emudecida. O peito, transbordando. O corpo inteiro em lágrimas.

Transmutar
Fico feliz quando as palavras soltam do pensamento e deslizam no papel. É como se neste momento eu estivesse passando de lagarta para borboleta. Transmuto.

Prevendo o futuro
Oomancia, estava escrito no anúncio. Ela resolveu parar e conhecer o futuro. Uma dúzia de ovos depois… seu futuro se transformou em um grande omelete.

Mãe não descansa
Após um dia cansativo, ela resolve descansar na rede. Os filhos envolta deixam-na enredada.

Domingo
Era domingo. Os dois estavam sentados na varanda. Uma mosca pousa sobre a mesa. Enfim, uma diversão.

Mudança
O homem queria mudanças no relacionamento. A mulher também. Ambos tiveram que mudar… de cidade.

Semáfaro
O sinal fechou. Ela olhou para o lado e disse:
– O sinal está aberto pra mim. Abriu a porta e saiu. Ele seguiu o caminho. Mais adiante, quebrou a lata.

07 - Texto de Rosane Castro e ilustração de Dane D'AngeliNem tudo é como parece ser
A formiga caminhava em direção ao formigueiro carregando uma folhinha nas costas. A cigarra faceira cantava. O tempo passou, o inverno chegou. A formiga engordou e a cigarra virou estrela de Hollywood.
“A arte exige um trabalho árduo.”

Parte II
A lebre com fome tentava desesperadamente colher alguns cachos de uva. Sem sucesso, desistiu. O dono da parreira olhava a cena e ria da miséria alheia. Numa noite a chuva foi tão forte que fez com que todas as uvas caíssem do parreiral. De longe a raposa ria da mesquinhez do homem.

Antes não tivesse beijado
Ele acordou, e, como de costume, beijou a mulher. Ela sorriu. Sobre a mesa um pedido de separação. Ela descobriu o adultério.

Plantação
Uma velha senhora ao acordar, percebeu que seu gato estava morto. Parou ao lado do pobre animal e rezou. Depois de um longo tempo, espreguiçou-se e disse: Amanhã pode ser Eu. Quem rezará por mim?

Plante amor e colherás amigos.

Fugindo
Um homem obstinado, querendo enganar a morte, escondeu-se dentro de um velho barril em um depósito desativado.
– Aqui ninguem me encontra. Disse.

Ele estava certo, ninguém o encontrou.
Morreu solitário, com fome e sede.

Uma vez menina
As margens do rio (qualquer rio) a menina admirava sua beleza.

– Quando crescer serei uma mulher famosa.
Vinte anos mais tarde… Na capa do jornal: CIÚMES, VIOLÊNCIA E MORTE. na foto, aquela que um dia foi menina.

Alegria
Amanhece.
As crianças brincam no jardim.
A parreira de uvas acompanha a brincadeira. Crianças às pencas com sabor de alegria dão sombra à vida.

Tic Tac
Todas as manhãs a mulher abria a janela da varanda. Todas as noites ela fechava a janela. Na parede da sala de estar, um relógio antigo marcava 00:01 min.

Outro dia e nada mudou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s